Produto Relacionado:
Creme Dental Oral-B 100%

Creme Dental Oral-B 100%

Compre aqui

Lidar com o surgimento de aftas na boca está longe de ser uma tarefa fácil. Além de causar dor e desconforto, essas pequenas lesões que surgem no interior da boca atrapalham funções importantes, como a alimentação e a fala, trazendo prejuízos para a sua saúde e bem estar. A boa notícia é que existe uma série de cuidados que podem ajudar a reverter e até mesmo evitar essas feridinhas. Para driblar essas erupções bucais da maneira correta, o Sorrisologia preparou um guia com os principais tratamentos para afta e os cuidados necessários para evitá-la.

1. O que são as aftas?

Também conhecida como úlcera oral ou estomatite aftosa, a afta é caracterizada como uma condição inflamatória, podendo ser recorrente ou não. No entanto, diferente da úlcera estomacal, as aftas são lesões benignas e superficiais. Geralmente, elas são pequenas, não-contagiosas e costumam se apresentar de forma única ou múltipla. “Essas pequenas feridas dificultam a fala e a deglutição e podem aparecer na região da mucosa bucal, ou seja, língua, lábios, gengiva, garganta, úvula e mais raramente na mucosa genital”, afirma o dentista Murilo Perrella. Assim como outras condições bucais, a afta tende a se manifestar desde a infância até a idade adulta, mas a ocorrência tende a reduzir com o passar dos anos.

1.1. Aftas: como elas surgem?

Ao sentir qualquer indício de que afta na boca, é comum que o paciente já ligue o sinal de alerta e busque alternativas para lidar com o incômodo. Mas, antes de descobrir o melhor tratamento para afta, é preciso entender os motivos por trás dessas lesões. As causas para esse quadro podem ser variadas, mas de acordo com o especialista Murilo Perrella, elas tendem a aparecer por conta de traumas na região.

Outro fator que pode estar associado ao surgimento da afta é o desequilíbrio do sistema imunológico. Isso porque a baixa imunidade facilita a instalação de vírus, bactérias e fungos na cavidade bucal, o que pode aumentar os riscos de aftas. Além disso, existem outras condições que podem contribuir para o quadro, como deficiência de ferro, vitamina B2 e B9, infecção por HIV, alimentação, estresse físico e emocional, distúrbios gastrintestinais e desequilíbrio hormonal.

1.2. Os sintomas da afta

O principal sintoma da afta é, certamente, a presença de uma ferida esbranquiçada ou levemente amarelada com a borda avermelhada na língua ou em outras áreas de mucosa na boca, como lábios, gengiva e garganta. Nesse caso, elas podem acontecer em um episódio isolado ou com mais frequência – tudo vai depender da origem do problema. No entanto, de acordo com o profissional Daniel Cohen, a afta também pode apresentar outros sinais. “Geralmente, os sintomas são dor aguda, que tende a aumentar com o contato direto à lesão, seja com outras estruturas da mucosa ou agentes externos, como alimentos”, afirma.

1.3. O tempo de duração das aftas

De maneira geral, as aftas tendem a levar entre 7 a 15 dias para cicatrizarem. Porém, se essas lesões tiverem profundidade maior que 1 cm, podem levar até três semanas para cicatrizar. No entanto, vale lembrar que se a permanência dessas feridas ultrapassar o período de 15 dias, o ideal é buscar ajuda especializada de um estomatologista para realizar uma avaliação completa que verifique se há indícios de câncer de boca. “Em sua fase inicial, o câncer bucal pode ser confundido com uma afta, principalmente se o paciente em questão for fumante”, ressalta Murillo.

2. Tratamento para afta

Ao notar a presença de uma afta na boca, é normal que a primeira atitude seja buscar formas de tratar e eliminar o problema. Afinal, ainda que a afta desapareça sozinha em quase todos os casos, existem algumas formas de aliviar o desconforto e incômodo causado por essas lesões. Mas será que você sabe quais são os melhores tratamentos para afta? Veja alguns deles abaixo:

2.1. Manter uma boa higiene bucal

Você já deve saber que uma boa higiene oral é fundamental para proteger o seu sorriso de uma série de problemas bucais, certo? Quando se trata de aftas, o conselho é o mesmo. “A higiene bucal em dia evita que bactérias da boca causem infecção quando em contato com a afta”, alerta a dentista Rita Ventura. Além disso, depois de diagnosticada, a afta pode ser combatida com uma higienização apropriada. Por esse motivo, é necessário redobrar os cuidados em relação à limpeza dos dentes, gengivas e língua, especialmente após as refeições, já que a acidez da boca tende a aumentar. Nesse caso, o ideal é passar a escova de forma leve e com cuidado e optar por enxaguantes bucais sem álcool para não agravar o machucado. Mas lembre-se: nunca deixe de fazer a higienização!

2.2. O uso de remédios caseiros para afta

Dependendo do estágio da afta, existem alguns remédios caseiros que podem ajudar a amenizar o incômodo causado pela lesão. O uso de bicarbonato de sódio, por exemplo, é um dos mais indicados. Para isso, a recomendação é fazer bochechos de uma solução feita com uma colher de bicarbonato de sódio diluído em um copo de água, conforme as orientações da estomatologista Dulce Helena Cabelho. Outra substância que pode ser utilizada é o leite de magnésio, mas sempre diluído em uma quantidade de água. Aplicá-los diretamente na afta pode trazer graves consequências, como dor e ardência, deixando a ferida ainda mais séria.

2.3. Laserterapia para aftas

A laserterapia é uma das principais apostas para amenizar a dor, acelerar a cicatrização e, até mesmo, diminuir a frequência das aftas. Feito através da emissão de luz diretamente na mucosa, o tratamento não possui contraindicações, mas pode variar de acordo com cada paciente. “Como as aftas são de causa multifatorial, o especialista deve reconhecer o motivo iniciador em cada caso e recomendar o protocolo com doses e frequências individualizadas”, explica a estomatologista Beatriz Venturi.

Ainda assim, vale ressaltar que, antes de optar pelo tratamento de afta com laserterapia, é importante investigar a causa do quadro. Isso porque as lesões podem ser sinais da presença de doenças autoimunes, intestinais ou dermatológicas. Sendo assim, busque um profissional para garantir o diagnóstico correto e um tratamento de sucesso.

3. Cuidados para prevenir as aftas

Ainda que o tratamento para afta não seja tão complicado assim, é sempre bom ter em mente que alguns cuidados podem prevenir o surgimento dessas lesões. Nesse caso, hábitos de higiene e até mesmo de alimentação podem aumentar o risco de afta na boca. Por isso, que tal conferir algumas atitudes que podem evitar o quadro?

– Aposte uma boa rotina de higiene bucal, incluindo o uso de escova de dentes com cerdas macias, fio dental e enxaguante bucal;

– Evite o consumo de alimentos cítricos e ácidos, como o abacaxi ou o limão, já que eles podem favorecer o aparecimento das aftas

– Invista em uma dieta equilibrada e saudável, incluindo alimentos ricos em ferro e vitamina B2 e B9. Dessa forma, o seu sistema imunológico será capaz de cicatrizar as úlceras mais rapidamente, caso elas surjam;

– Mantenha um acompanhamento profissional com um especialista no assunto. Assim, você está prevenindo o risco de lesões mais graves, inclusive, que podem ser diagnosticadas precocemente, como o câncer de boca.

Esse artigo contou com a participação de:

Murilo Perrella
CRO-SP 70.858
Formado pela Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) e possui vários cursos de prótese, reabilitação oral estética e ATM.