Produto Relacionado:
Antisséptico bucal Pro-Saúde Noite

Antisséptico bucal Pro-Saúde Noite

Compre aqui

Nada melhor do que saber que a saúde está em dia, né? Um organismo saudável depende de muitos aspectos do nosso corpo, e a saúde bucal é um deles. Não é à toa que as pessoas dizem que a saúde começa pela boca, porque além dos cuidados com a alimentação, a falta de cuidados com a cavidade oral pode provocar vários probleminhas bem desagradáveis. Arriscar não é uma boa ideia, né? Por isso, o Sorrisologia preparou uma matéria bem especial para desvendar todas as questões que envolvem sua saúde bucal e te ajudarem a cuidar bem direitinho dela.

1. Principais cuidados com a saúde bucal

Um sorriso bonito depende de uma série de fatores que, em conjunto, conseguem deixar o rosto mais harmônico e equilibrado. Por isso que, além da estética, é preciso se preocupar também com a sua saúde bucal, pois sem ela, todo o resto pode ser facilmente comprometido. Para entender como cuidar direitinho do seu universo bucal, entenda como a higienização deve ser feita em cada parte da cavidade oral.

1.1 Seus dentes precisam de atenção

Eles são a chave do seu sorriso! Não é à toa que uma das maiores preocupações das pessoas é a busca por dentes branquinhos e alinhados, né? Para garantir que eles estejam sempre saudáveis, a escovação é um processo fundamental e que deve ser realizado diariamente, principalmente após as refeições. Para isso é importante a junção de quatro ferramentas essenciais: escova de dentes, creme dental, fio dental e, para finalizar, o enxaguante bucal. A quantidade de pasta de dente aplicada à escova deve ser semelhante à de um grão de ervilha e para que a limpeza seja eficiente, é necessário que o paciente divida sua boca em quatro partes (superior direito e esquerdo, inferior direito e esquerdo) e escove cada uma delas por, pelo menos, 30 segundos. Nada de pressa!

1.2 Gengiva saudável e livre de problemas

Além dos cuidados com os seus dentes, é muito importante também se atentar à saúde das gengivas. O uso de fio dental é imprescindível para remover todos os restinhos de alimentos que ficam presos entre os dentes e que a escova não consegue alcançar, e isso ajuda também na remoção da famosa placa bacteriana, uma das responsáveis pelas doenças gengivais como a gengivite ou periodontite. Uma gengiva saudável não sangra, e quando isso acontece é importante procurar um especialista no assunto para saber o que está havendo.

1.3 Cuidar da sua língua também é importante

Poucas pessoas se lembram desse órgão na hora de cuidar da saúde bucal, mas a verdade é que ela não deve ser esquecida nem deixada de lado durante a higiene do seu sorriso. Esse pequeno ato pode ser capaz de eliminar a saburra lingual e, consequentemente, combater o mau hálito. Além disso, ele reduz as chances de surgimento da cárie. Portanto, não custa nada dedicar uns minutinhos do seu tempo para cuidar da sua língua também, né? Para realizar essa limpeza, você pode utilizar tanto a própria escova de dentes quanto uma ferramenta mais específica, como o limpador de língua, disponível no mercado em metal e plástico, com ou sem cerdas. Antes de adquirir um desses, vale a pena trocar uma ideia com o seu dentista para ver qual se adapta melhor ao seu caso.

1.4 Já fez o seu check-up anual?

Por último, mas não menos importante: não deixe de ir ao dentista! Uma das melhores formas de garantir que sua boca está livre de problemas é consultando um profissional no assunto. Além de fazer uma limpeza mais completa da região – chamada de profilaxia -, ele pode verificar exatamente como anda o estado de saúde da cavidade bucal, e, caso haja indícios de algum probleminha, ele poderá encaminhá-lo para o tratamento mais adequado. “O check-up vai dar a oportunidade ao paciente e ao profissional de detectarem a eventual presença de doenças e tratá-las precocemente, impedindo a sua evolução”, conta o dentista Fernando Luiz Tavares Vieira.

2. Produtos essenciais para uma boa saúde bucal

Para uma boa higiene, nada melhor do que os produtos certos, né? Existe uma grande variedade no mercado hoje em dia de escovas de dentes e de cremes dentais, e isso pode acabar confundindo o paciente de certa forma. Mas para não errar na hora de escolher quais são as opções mais apropriadas para você é bom conversar com o seu dentista. Que tal entender um pouquinho mais sobre a importância de cada um desses itens?

2.1 Escova de dentes

Seja manual, à pilha ou elétrica: a escova de dentes é uma ferramenta que não pode faltar no seu kit de higiene bucal, pois ela é a condutora de todo o processo de higiene feito. “Ela faz a remoção da placa bacteriana das superfícies dos dentes”, explica a odontopediatra Vânia Côrtes. Além disso, os resquícios de alimentos que podem ficar escondidos também são removidos, como a casquinha do feijão que às vezes prende no dente.

Mesmo com os diferentes modelos, o fator mais importante da escova são as suas cerdas, que podem ser duras e médias ou macias e extra-macias. De acordo com a dentista Heloísa Crisóstomo, a mais recomendada delas é a de cerdas macias e extra-macias: “Ela tem o papel de massagear esse local, além de ser capaz de penetrar levemente no espaço entre dente e gengiva, higienizando de forma eficiente”. Isso porque as escovas de cerdas duras e médias, por exemplo, podem machucar a gengiva e causar problemas, e são mais recomendadas apenas em casos de prótese dentária.

2.2 Creme dental

A variedade de pastas de dente no mercado hoje é enorme! Existem diferentes tipos de produtos e cada um deles é voltado para tratamentos específicos. Tem os que tratam a sensibilidade dentária, os que possuem ação “whitening” para deixar o sorriso mais claro e até mesmo os cremes dentais com carvão ativado, que une esses dois fatores. Além disso, muitas pastas de dente hoje contam com uma substância para lá de especial: o fluoreto de estanho. “Os benefícios desta solução estão associados ao combate da erosão ácida, a diminuição da sensibilidade dentinária, entre vários outros benefícios”, conta a dentista especialista em Saúde Pública Leila Bertolucci. Então antes de comprar um novo companheiro de higiene dental, verifique quais são as reais necessidades para o seu sorriso e se a pasta escolhida atende à isso.

2.3 Fio dental

Poucas pessoas levam a sério a real importância de usar o fio dental e agem como se não fosse realmente necessário utilizá-lo na hora de escovar os dentes, mas esse pensamento está errado. Ele é extremamente importante nesse processo para garantir uma limpeza dos dentes mais eficaz, já que a escova de dentes não consegue alcançar alguns lugares – como o espaço entre os dentes, por exemplo – e essa é justamente a função do item. Por isso, não deixe de usar o fio dental! Ele vai te ajudar a ficar longe dos problemas.

2.4 Enxaguante bucal

Ótimo para finalizar a higiene bucal, o enxaguante bucal também ajuda a combater os microrganismos causadores de cáries e placas bacterianas, além de proteger toda a estrutura bucal desses probleminhas. Os enxaguantes que não possuem álcool em sua composição são a melhor opção para isso e sua aplicação é bem simples: basta despejar 20ml do produto na tampinha (que também serve como copo medidor), colocar o líquido na boca, fazer bochechos durante 30 segundos e cuspir tudo em seguida. Lembrando que não é necessário “limpar” a boca depois com água normal, hein? Isso pode acabar tirando o efeito do enxaguante!

3. Os problemas bucais mais comuns

Eles podem até te pegar de surpresa, mas fica muito mais fácil de evitar que isso aconteça se você souber cuidar adequadamente da sua saúde bucal e, principalmente, da higiene na região. Seja cárie ou mau hálito, é sempre bom ter um pouquinho mais de conhecimento sobre as doenças que podem surgir na sua boca, né? Saiba mais sobre cada um dos principais problemas bucais a seguir.

3.1 Cárie

O medo de ter cáries é real: ninguém quer passar por isso na vida. Essa desestruturação dos dentes é formada por bactérias que atacam os dentes, desestruturando o elemento e atacando as camadas do dente pouco a pouco. Segundo o periodontista Cléber Ferreira Jr., ela se trata de uma doença comportamental, ou seja, pode surgir a partir de alguns hábitos do paciente. “Ao nos alimentarmos, as bactérias presentes em nossa boca consomem o açúcar do alimento e o transforma em ácido. Estes ácidos desmineralizam o dente de forma progressiva, podendo no início aparecer uma mancha branca no dente. Se este processo não for interrompido, a mancha branca pode evoluir para uma cavidade no dente, que seria a cárie propriamente dita”, esclarece. Por isso, o ideal é evitar o consumo de doces e carboidratos em excesso, e nunca se esquecer de escovar os dentes após as refeições!

3.2 Mau hálito

Bastante desagradável, o mau hálito – também chamado de halitose – às vezes chega sem pedir licença. Ele pode ter diversas causas, mas a mais comum delas é a saburra lingual, derivada de uma higiene bucal inadequada. Outras possíveis causas são as doenças gengivais e até mesmo fatores externos podem influenciar nesse quadro. “A saburra ou biofilme lingual é uma placa bacteriana esbranquiçada ou amarelada que se forma no fundo da língua. Já a doença periodontal são as que acometem a gengiva, osso de suporte dos dentes e as fibras do ligamento (que unem gengiva, dente e osso)”, conta o especialista em halitose Maurício Duarte. Então a melhor forma de evitar ao máximo que isso aconteça é fazendo uma boa limpeza bucal, e sem se esquecer de escovar também a superfície da língua para remover todas as impurezas que se depositam na região e formam a saburra.

3.3 Gengivite e periodontite

Quem nunca passou por um episódio em que a gengiva começou a sangrar durante a escovação? Esse é um sintoma típico da gengivite, doença bucal caracterizada pela inflamação da gengiva e que acaba deixando a região mais sensível, ocasionando os sangramentos. A principal causa para que esse problema se desenvolva é o acúmulo de placa bacteriana aderido aos dentes, e se isso não for solucionado as chances de que haja uma evolução para a periodontite são bem grandes. A periodontite, por sua vez, é um quadro que merece atenção, pois se não for tratado corretamente, pode levar à perda do elemento dental.

3.4 Placa bacteriana e tártaro

Também conhecida como biofilme dental, a placa bacteriana é formada pelo acúmulo de bactérias, restos alimentares e outros microorganismos que ficam aderidas ao dente. Mas não precisa se preocupar, pois é algo que todo mundo tem, de acordo com o periodontista Cléber Ferreira Jr. “Após uma refeição, restos de alimentos tendem a ficar depositados sobre e entre os dentes. Neste momento começa uma interação entre as bactérias e os resíduos alimentares, daí a formação da placa bacteriana”, explica. Já o tártaro nada mais é do que o endurecimento da placa bacteriana na superfície dentária, sendo um problema mais visível e que deve ser removido pelo dentista.