Produto Relacionado:
Creme dental Oral-B Gengiva Detox Deep Clean

Creme dental Oral-B Gengiva Detox Deep Clean

Compre aqui

A placa bacteriana é uma fina camada de bactérias e restos de alimentos que reveste o dente. Ela faz parte do nosso organismo e é completamente natural! Mas, para que o paciente tenha uma boa saúde bucal, ele precisa remover esses pequenos agentes diariamente, com a escovação e o fio dental. As grávidas devem ainda ter mais atenção nesse momento! Segundo a cirurgiã-dentista Gabriella Fávaro, a placa bacteriana aumenta na gravidez. Por isso, fique atenta nesses detalhes para ter uma gestação saudável e veja como resolver dar fim a esse problema bucal.

Placa bacteriana aumenta na gravidez?

Segundo os especialistas, sim! Acontece que nesse momento o organismo da mulher passa por diversas mudanças hormonais. “Isso causa a proliferação dos vasos e do fluxo sanguíneos, provocando edema gengival e uma maior resposta inflamatória às bactérias presentes na boca”, comenta a profissional. Somado a isso, há ainda uma diminuição no pH da saliva, tornando a região bucal mais ácida e mais suscetível a um acúmulo dessas bactérias. Todos esse fatores em conjunto, além de uma má higiene bucal, fazem com que a gestante possa desenvolver a placa.

Placa bacteriana pode causar problemas bucais!

O maior risco em deixar esses agentes acumulados na boca é o desenvolvimento de alguns problemas bucais. “Essas bactérias são responsáveis pela desmineralização do esmalte dentário, ou seja, causadoras da cárie e responsáveis pela gengivite e periodontite”, explica ela. Por isso, é importante que as futuras mamães fiquem de olho ao fatores que contribuem para um acúmulo da placa bacteriana, como o consumo excessivo de açúcares e a diminuição do fluxo salivar. Mas, segundo ele, a principal causa para esse quadro é a falta de higiene oral. Não se esqueça de consultar seu dentista para verificar a forma correta de realizar a limpeza bucal!

Placa bacteriana na gravidez pode prejudicar o bebê?

Sim, principalmente quando falamos de problemas na gengiva, como a gengivite ou periodontite. “É possível que essas doenças aumentem os níveis dos fluidos biológicos que estimulam o trabalho de parto”, alerta a especialista. Em outras palavras, conforme o problema bucal piora, maiores são as chances da mamãe ter um parto prematuro e um bebê com peso abaixo do normal.

Prevenção é o melhor tratamento!

Para evitar qualquer um desses casos, o mais recomendado é a prevenção! “Na prevenção temos os métodos mecânicos de escovação, o uso de fios dentais, auxílio das escovas interproximais e enxaguantes bucais”, indica ela. E, para as pacientes que já têm problemas bucais, o ideal é fazer a remoção deles. Nesses casos, o procedimento deve ser feito no consultório do dentista, com o acompanhamento do profissional e envolvendo técnicas mais específicas. Por isso, tenha o acompanhamento do seu dentista de confiança desde o início da gestação 😉

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Gabriella Fávaro Sbrogio – Cirurgiã Dentista e ortodontista
São José do Rio Preto – SP
CRO: 124-948