Produto Relacionado:
Oral-B Pro-Saúde Advanced

Oral-B Pro-Saúde Advanced

Compre aqui

Hoje em dia, ter um sorriso perfeito é algo bem fácil de conseguir, visto que as inovações na área da saúde permitiram que os implantes dentários melhorassem cada vez mais. Embora a o aspecto seja importante para a autoestima, ele deve vir acompanhada da saúde e de uma boa higiene bucal. Quando esse cuidado é precário, a falta de um ou mais dentes pode acontecer, e, por isso, a pessoa deverá cogitar a possibilidade de realizar o implante. Mas, será que ele realmente funciona para todos? Quem explica mais sobre o assunto é a cirurgiã-dentista Viviane Fellows. Confira!

Problemas bucais podem impossibilitar a instalação de implantes dentários

Alguns problemas bucais como a cárie, por exemplo, pode vir a ser um empecilho quando se trata de implante dentário. Além disso, Viviane explica: “Pacientes que não apresentam uma boa saúde bucal, tendo doenças como a cárie e a periodontite, por exemplo, pode ter problemas quanto a decisão do profissional de instalar um implante”.

Casos que podem impedir esse procedimento

Segundo Viviane, pacientes que apresentem doenças sistêmicas, câncer, osteoporose, diabetes, hemofilia e gestantes não podem ser submetidos a cirurgia de instalação de implantes. “Por isso uma boa anamnese e estudo da história de saúde do paciente é de extrema importância”, ressalta a cirurgiã-dentista.

Por que alguns fatores impedem a realização da cirurgia de implantes?

A cirurgiã-dentista explica: “Para que se tenha sucesso na cirurgia de implante, e o mesmo tenha uma osseointegração (é a união estável e funcional entre o osso e uma superfície de titânio), é importante planejar cuidadosamente e estudar o paciente que deseja ser submetido a este procedimento”. Viviane ainda ressalta: “Assim, não oferecerá nenhum risco a este paciente e também não irá frustrá-lo”.

Pode ser que o paciente precise optar por outros tipos de próteses

Quando o paciente não tiver indicação de instalação de implante, seja por impossibilidade óssea, doença sistêmica ou algum outro fator, o ideal é planejar algo protético, para restabelecer a oclusão do mesmo. “ Existem alguns caminhos para isso, porém cada caso é uma caso e precisa ser avaliado isoladamente”, explica Viviane.

O que fazer para reverter o quadro

Segundo Viviane, no caso do paciente se recusar a restabelecer a ausência deste elemento perdido, o especialista deve se pensar em enxerto ósseo sintético ou autógeno (quando é realizado com material do próprio paciente) como tentativa de mudar o quadro desfavorável do paciente.

Este artigo tem a contribuição do especialista
Viviane Fellows – Cirurgiã-dentista
Rio de Janeiro – RJ
CRO: 42816