Não é novidade que o nascimento dos dentes de leite pode gerar uma série de incômodos para a criança. Entre eles, estão o excesso de saliva e gengivas vermelhas e inchadas. Por isso, é bastante comum que os pequenos agarrem ou mastiguem qualquer coisa durante esse período na tentativa de amenizar a dor. Mas será que a febre também pode ser um quadro causado por esse processo? Para esclarecer essa dúvida, o Sorrisologia preparou uma matéria especial com tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Veja só!

Antes de tudo, saiba quando nascem os dentes de leite

Esse é, certamente, um dos momentos mais aguardados pelos pais: ver os primeiros dentinhos aparecendo na boca de seu filho. Geralmente, essa etapa se inicia por volta dos 6 meses de idade, mas não acontece de uma vez só. Ou seja: não vá pensando que todos os dentes do pequeno nasceram juntos. Na verdade, esse processo é gradual e, por isso, pode durar alguns anos. Dessa forma, os primeiros que surgem são os dois da frente da arcada superior. Mas só lá pelos três anos é que seu filho deve ter todos os 20 dentes de leite na boca.

Afinal, a febre pode ser sintoma do nascimento dos dentes de leite?

Embora muitas pessoas acreditem, o nascimento dos primeiros dentes da criança não está relacionado ao quadro. A irrupção dos dentes pode causar desconforto e irritação, mas não febre alta, com temperatura maior que 38ºC. Acontece que, o início da dentição ocorre na mesma fase em que as crianças começam a pegar objetos com as mãos e colocar na boca, o que pode resultar em infecções e, consequentemente, em febre. Por esse motivo, é importante que os pais tenham atenção redobrada durante esse período para evitar complicações.

O que fazer para amenizar o desconforto da criança nessa fase?

É importante entender que o nascimento dos dentes é um processo natural e que pode gerar bastante desconforto e incômodo ao criança. Ainda assim, vale ressaltar que não há motivo, a princípio, de correr com o seu filho para o dentista, já que não se trata de uma doença, mas de uma fase de transição comum a toda criança. Esses incômodos, contudo, podem ser aliviados com algumas atitudes simples em casa. Massagens com o dedo limpo e envolto em gaze ou fralda umedecida com soro fisiológico, por exemplo, podem amenizar as dores por um tempo. Nesse caso, o ideal é que os movimentos sejam leves e circulares para não comprometer a gengiva do bebê. Além disso, o uso de mordedores resfriados e a oferta de alimentos e bebidas frios ou gelados também são bem-vindos, já que a temperatura baixa ajuda a diminuir os sintomas locais da inflamação e contribui para o alívio do pequeno.