Quando você vai dar aquela checada no espelho percebe que seu sorriso não está tão branco como gostaria. Então, após realizar a higiene bucal, acreditando que agora ficou tudo certo, ele continua amarelado. Essa situação é provocada por manchas nos seus dentes, que podem ser dos tipos intrínsecas e extrínsecas. Para entender a diferença entre elas e descobrir como trazer a coloração desejada de volta, a dentista Alana Beltran trouxe explicações sobre esses quadros.

Qual é a diferença entre as manchas intrínsecas e extrínsecas?

Podemos dizer que não existe uma cor certa para os dentes. Assim como explica a profissional, a cor natural dos dentes pode variar de pessoa para pessoa. Entretanto, há fatores que influenciam e resultam nessa mudança de tonalidade percebida por muitos. Essa coloração pode ser provocada por manchas extrínsecas, caracterizadas por serem na superfície dental, ou as intrínsecas, que são internas. “As manchas extrínsecas são decorrentes de fumo ou tabaco, bebidas como café e vinho tinto, ingestão de alimentos com corantes e acúmulo de placa bacteriana e bactérias cromogênicas”, define ela.

As substâncias citadas grudam nas ondulações ou defeitos presentes na superfície do esmalte, resultando na aderência delas. Por outro lado, as manchas intrínsecas são provocadas pela ingestão excessiva de flúor ou uso de antibiótico tetraciclina durante a formação dos dentes. Além disso, traumas dentais e o processo natural de envelhecimento também podem dar origem às manchas.

Saiba como é possível solucionar os dois tipos de manchas

De acordo com os esclarecimentos da odontologista, as manchas extrínsecas são mais facilmente removidas, seja através de limpezas no consultório e um polimento dentário. “Como são também ligadas à higiene do paciente, o hábito de uma higiene oral adequada em casa com escova de dente, pasta branqueadora e fio dental também previnem o aparecimento dessas manchas”, completa ela. Já no caso das intrínsecas, a remoção tem a necessidade de um clareamento dentário, e ainda, em alguns casos, precisar de um revestimento com facetas ou coroas dentárias, podendo ser de resina ou porcelana. Somente o seu dentista pode indicar o melhor para o seu caso.

O clareamento dental pode solucionar ambas as manchas?

“O clareamento dental pode ser utilizado em casos de dentes amarelados, em alguns casos de escurecimento dental causado por fatores intrínsecos como antibiótico e flúor, envelhecimento natural”, esclarece a profissional. O objetivo do procedimento, como define a dentista, é remover manchas e pigmentações dos dentes, através de substâncias químicas, dando uma cor mais clara e natural. O tratamento pode ser do tipo caseiro, em que o paciente utiliza as moldeiras com o gel clareador em casa, com a orientação do profissional, ou feito no consultório, no qual é submetido, em média, a duas ou três sessões. “O produto clareador (mais concentrado) é aplicado sob controle, com os dentes isolados, para evitar que entre em contato com gengivas e mucosas”, diz Alana.

Como evitar manchas nos dentes? A profissional dá dicas para se cuidar

Ninguém quer um sorriso amarelado, certo? Por isso, é importante seguir determinados cuidados na sua rotina, que são capazes de deixar seus dentes afastados dessa coloração indesejada. Pensando nisso, a dentista destacou algumas precauções para você ter: “A redução de alimentos e bebidas que possuem pigmentos, tabagismo e manutenção da higiene oral realizada tanto em casa com uso de cremes dentais branqueadores, fio dental e escovação adequada, como também a limpeza realizada no dentista periodicamente”, cita ela. Vale destacar que a higiene bucal é um dos mecanismos principais para a prevenção das manchas extrínsecas, já que ficam na superfície do esmalte dentário.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Alana Beltran dos Santos Souza – Especialista em Ortodontia
São Paulo – SP
CRO SP – 108.628