Você já precisou fazer os processos de moldagem, aquele com uma massinha rosa? O escaneamento intraoral veio exatamente como uma tecnologia para substituir esse método convencional – que diga-se de passagem, muita gente não gosta. A novidade pode ajudar não apenas nisso, mas em diversos procedimentos e até mesmo no relacionamento entre o dentista com o paciente. Com uma ferramenta específica, o profissional projeta luzes sobre a superfície dentária do paciente e consegue, por meio das câmeras, uma representação digital dos dentes e da gengiva do paciente. O especialista em cirurgia menor Ricardo Teixeira comenta os principais benefícios dessa tecnologia, além de citar em quais outros ramos da odontologia ela pode ser usada!

Que benefícios o escaneamento intraoral apresenta?

Uma das maiores vantagens desse método é que ele consegue diminuir bastante o tempo dos exames. “O escaneamento intraoral simplifica muitos procedimentos clínicos reduzindo seu tempo de execução, seja em uma moldagem de múltiplos preparos em dentes ou implantes para a confecção de um protocolo”, comenta o especialista. Há casos em que são necessárias diversas impressões da superfície dentária do paciente, sendo necessário realizar o exame muitas vezes. Com o escaneamento, porém, o profissional consegue captar todas as informações necessárias de uma só vez 😉

A técnica pode ser feita no consultório do dentista de confiança, melhorando assim a comunicação entre eles. Com os resultados digitais, o profissional pode explicar ao paciente de forma mais clara todos os procedimentos necessários e como será o tratamento. Um outro benefício é que o escaneamento intraoral pode diminuir os danos ao meio ambiente. “Ele reduz consideravelmente a produção de resíduos de gesso, gastos em materiais de moldagem e armazenamento de materiais e modelos físicos”, completa o especialista.

Escaneamento intraoral em vários ramos da odontologia

A tecnologia substitui as antigas técnicas de moldagem e, de acordo com o especialista,o escaneamento intraoral pode ser feito ao longo de praticamente todas as etapas do tratamento odontológico. “Com a finalidade de diagnóstico, comunicação com o paciente ou laboratório, planejamento e tratamento em diversas especialidades da odontologia”, acrescenta ele. Junto do especialista, separamos como o procedimento pode atuar em cada ramo da odontologia:

Na Ortodontia: “Substitui a moldagem tradicional de planejamento, proporciona a confecção de alinhadores e aparelhos ortodônticos personalizados”, indica o especialista. Além disso, fica mais fácil de acompanhar e comparar a situação do paciente ao longo do tratamento

Na Reabilitação Oral: junto de tomografias e outros exames, o resultado fica mais fácil de ser alcançado. A confecção de guias cirúrgicos, guias periodontais, coroas sobre dentes ou implantes também é mais precisa

Na Prótese Dentária: o escaneamento permite a confecção mais exata de estruturas metálicas removíveis, coroas protéticas, próteses parciais fixas

Na Disfunção Temporomandibular: “O escaneamento das arcadas com o seu correto registro intermaxilar permite a elaboração de placas testadas de forma digital quantos aos movimentos excursivos e com uma quantidade mínima de ajustes”, explica.

Na Implantodontia: a técnica pode participar nas etapas ligadas ao planejamento, como guias, moldagens virtuais dos implantes e dentes, confecção de coroas provisórias e definitivas

Se você se enquadra em qualquer uma dessas situações, é só falar com o seu dentista de confiança! Ele poderá determinar se o escaneamento intraoral pode ser usado ou não no seu caso.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Ricardo Gouvêa Teixeira – Especialista em cirurgia oral menor e implantodontia
Rio de Janeiro, RJ
CRO-RJ: 29409