Você só precisa de um espelho e um lugar com boa iluminação para realizar esse autoexame bucal, que ajuda a identificar doenças como a gengivite de maneira precoce. Nós sabemos que escovar os dentes é um momento de limpeza e cuidados, apesar disso, é nessa hora que vale separar um tempinho para avaliar como anda a cavidade bucal. Se você notar nesse momento que a gengiva sangra, por exemplo, pode ser um aviso de gengivite, a famosa gengiva inflamada. É rápido e fácil! Basta analisar a cor e textura de sua parede gengival e de seus lábios. Para entender mais sobre o autoexame, o Sorrisologia conversou um pouquinho com a cirurgiã-dentista especializada em ortodontia e ortopedia facial Nadyne de Alves, e ela esclareceu algumas dúvidas sobre o assunto.

Entenda como você pode fazer uma autoavaliação bucal em casa

Segundo Nadyne, o autoexame pode ser realizado observando se há dentes fraturados, feridas que não cicatrizam e mudanças de coloração. Ele deve ser feito em frente ao espelho, checando a assimetria nos lados do rosto. Para isso, Nadyne aconselha: “Vire o lábio inferior para baixo e verifique se há alguma alteração, assim como na língua (colocando a mesma para fora). Olhe também a parte de cima do palato (céu da boca), colocando a cabeça para trás, e observe o interior das bochechas”. Se houver algum de sinal de machucado ou feridas, apalpe-o com as mãos higienizadas para observar se existe algum sintoma.

Sinais de alerta e problemas bucais que podem ser notados no autoexame

Caso seja observada qualquer alteração na estrutura bucal durante o autoexame, sejam eles dentes amolecidos, gengiva inflamada com sangramento, sinal de dor ou diferenças de coloração, faz-se necessário imediatamente buscar por um dentista de confiança. Nadyne explica que além desses sintomas, outros problemas bucais podem ser observados com o autoexame, como a presença de nódulos em região de tecido mole e rachaduras. Um outro exemplo é o câncer de boca. Bem semelhantes aos sintomas da afta, as úlceras formadas pelo câncer são avermelhadas ou brancas. Manter esse hábito é essencial no diagnóstico precoce e consequente probabilidade de sucesso do tratamento.

Agora mesmo que não seja notada nenhuma anormalidade durante esse autoexame, Nadyne explica que a consulta periódica é necessária e deve, sim, ser feita. “Sempre a cada seis meses o paciente deve ir ao consultório, e juntamente com isso, realizar a profilaxia (limpeza em consultório) para manutenção da saúde e cuidados preventivos, para que a saúde bucal mantenha-se em dia”, finaliza.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Nadyne de Alves – Cirurgiã-dentista, especialista em ortodontia e ortopedia facial pela Universidade Paulista (UNIP)
São Paulo – SP
CRO-SP: 105.205