Produto Relacionado:
Oral-B Pro-Saúde Advanced

Oral-B Pro-Saúde Advanced

Compre aqui

Começar a sentir uma dor no dente faz com que o paciente logo desconfie de uma cárie. Tem quem ache que só existe cárie se houver dor ou alguma alteração visível no dente, no entanto, deve-se ficar mais atento e não apenas confiar no que sente. Embora essa doença bucal seja uma das mais comuns, acometendo pacientes de diversas idades, muita gente ainda não sabe identificar o problema, principalmente no caso das cáries ocultas. Elas se mantêm escondidas na cavidade bucal, dificultando a percepção de sua presença. Para entender mais sobre o assunto, o Sorrisologia conversou com a odontologista Sofia Cabaleiro. Confira!

Principais diferenças da cárie oculta para comum

A cárie oculta, como o próprio nome diz, é uma cárie que não aparece visivelmente e portanto é de difícil diagnóstico. “Normalmente, se localiza entre os dentes, sendo portanto, necessário um exame complementar para seu diagnóstico”, explica Sofia. Ela esclarece também, que esses exames são as famosas radiografias periapicais, ou RX bite wings, e conclui: “As cáries comuns são aquelas fáceis de visualizar, normalmente em faces visíveis do dente”.

Os sintomas da cárie oculta são diferentes da cárie comum?

Segundo Sofia, normalmente os sintomas são semelhantes, e costumam iniciar com sensibilidades ao frio, quente e doces e leves desconfortos ao mastigar ou ao passar o fio dental.

Como perceber uma cárie oculta?

É importante entender que, normalmente, a cárie oculta evolui de forma silenciosa. “O paciente pode começar a sentir alguma sensibilidade, algum desconforto ao passar fio dental, porém, como não consegue ver, esses sintomas são negligenciados e infelizmente só se tornam visíveis quando estão mais profundas ou quando já inicia um processo de dor”, explica Sofia. Por isso, sempre que perceber algum sintoma diferente em algum dente, procure um dentista de confiança. Somente ele poderá fazer esse diagnóstico.

Saiba mais sobre o tratamento para este caso

Se o diagnóstico é diferente da cárie comum, o tratamento para ambas é o mesmo. “A restauração direta com resina é a opção mais comum, porém se a cavidade já estiver profunda, pode ser o caso de se indicar um tratamento endodôntico e reabilitação com pino e coroa”, explica a odontologista.

O que fazer para se prevenir desse caso

Segundo Sofia, idas regulares ao dentista é a forma mais eficaz para evitarmos esse quadro de cáries ocultas. “Pacientes com histórico de muitas cáries devem realizar essas idas semestrais ao dentista e também fazer radiografias de diagnóstico uma vez ao ano”, explica ao concluir: “Muitas vezes, até mesmo o profissional não é capaz de diagnosticar a cárie oculta, sendo o diagnóstico feito apenas com o auxílio de exame de imagem”.

Este artigo tem a contribuição do especialista: 
Sofia Cabaleiro – Clínica geral com aperfeiçoamento nas áreas de cirurgia, endodontia e odontopediatria

Belo Horizonte, MG
CRO-MG: 34919